JOGO ENTRE AMIGOS


Será realizado neste dia 25/04 no mini-campo Palmeirão em Patos-PB, um jogo entre os amigos de Dr. Darlison de Santa Terezinha-PE, e os amigos de Dr.estevam de Patos-PB, logo apos haverá uma feijoada e muito forro.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Juro do cheque especial é o maior em quase 20 anos e do cartão vai a 345%

Juro do cheque somou 220% ao ano, maior desde dezembro de 1995.
Juro do cartão de crédito é maior da série, que começa em março de 2011.

Alexandro MartelloDo G1, em Brasília

Os juros do cheque especial subiram novamente em março deste ano e atingiram a marca de 220,4% ao ano, de acordo números divulgados nesta sexta-feira (24) pelo Banco Central. Com isso, a taxa atingiu o maior patamar desde dezembro de 1995 – quando ficou em 242,2% ao ano – ou seja, em quase 20 anos.

Os juros cobrados pelos bancos nesta linha de crédito tiveram forte aumento nos últimos meses. No fim de 2013, estavam em 148,1% ao ano. O crescimento, portanto, foi de 72,3 pontos percentuais nos últimos 15 meses.

JUROS DO CHEQUE ESPECIAL
Taxa ao ano, em %
148,1154,1156,7159,4162168,7171,7172,5173183,5188191,8201209214,2220,4em %dez/13jan/14fev/14mar/14abr/14mai/14jun/14jul/14ago/14set/14out/14nov/14dez/14jan/15fev/15mar/15140160180200220240
Fonte: BC

Cartão de crédito
Segundo o BC, os juros do cartão de crédito rotativo, que incidem quando os clientes não pagam a totalidade de sua fatura, atingiram expressivos 345,8% ao ano em março – a mais alta de todas as modalidades de crédito. É o maior patamar desde o início da série histórica, em março de 2011. O BC tem recomendado que os clientes bancários evitem essa linha de crédito.

‘New York Times’ e rentabilidade dos bancos brasileiros
Reportagem publicada no recentemente pelo jornal norte-americano “The New York Times” diz que os juros praticados em algumas linhas de crédito no Brasil “fariam um agiota americano sentir vergonha”, citando os dos cartões de crédito em mais de 240% ao ano e de 100% cobrados pelos empréstimos bancários.

Economistas avaliam que o consumidor deve tentar evitar ao máximo o uso do cheque especial e do cartão de crédito rotativo por conta das altas taxas cobradas pelas instituições financeiras. Para eles, estas são linhas de crédito para momentos de extrema necessidade e devem ser utilizada por um período reduzido de tempo.

Segundo um levantamento feito pela consultoria Economatica para a BBC Brasil, apesar da desaceleração econômica, a rentabilidade sobre patrimônio dos grandes bancos de capital aberto no Brasil foi de 18,23% em 2014 – mais que o dobro da rentabilidade dos bancos americanos (7,68%).

JUROS DO CARTÃO DE CRÉDITO
Taxa ao ano, em %
312,8309,5315,1313,7305305,7308,3308311,3312319,7327,8331,6334,6342,7345,8em %dez/13jan/14fev/14mar/14abr/14mai/14jun/14jul/14ago/14set/14out/14nov/14dez/14jan/15fev/15mar/15300310320330340350
Fonte: BC

Consignado, crédito pessoal e veículos
No caso das operações de crédito pessoal para pessoas físicas (sem contar o consignado), de acordo com o Banco Central, a taxa média cobrada pelos bancos somou 104,5% ao ano em março, contra 108% ao ano em fevereiro. Nesse caso, houve uma queda de 3,5 pontos percentuais. O patamar de março é o menor desde dezembro do ano passado (101,9% ao ano).

Ainda segundo a autoridade monetária, a taxa média de juros cobrada pelas instituições financeiras nas operações do crédito consignado (com desconto em folha de pagamento) somou 26,8% ao ano em março – mesmo patamar de fevereiro. É a taxa mais alta desde abril de 2012 (27,5% ao ano). Mesmo assim, essa permanece sendo uma das linhas de crédito com menor taxa de juros do mercado.

Segundo o BC, a taxa média de juros para aquisição de veículos por pessoas físicas, por sua vez, somou 24,7% ao ano em março, contra 24,8% ao ano em fevereiro deste ano.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Com redução da maioridade, sistema pode ter 32 mil presos a mais em 1 ano

G1 fez levantamento com órgãos que administram internação de menores.
Congresso debate redução da maioridade penal de 18 para 16 anos.

Tahiane StocheroDo G1, em São Paulo

Menores infratores relatam más condições em unidade de internação (Foto: Roberta Cólen/G1)Menores infratores em unidade socioeducativa de Alagoas (Foto: Roberta Cólen/G1)

Levantamento realizado pelo G1 aponta que cerca de 32 mil adolescentes de 16 e 17 anos deram entrada nas unidades de cumprimento de medidas socioeducativas no país em 2014, após serem apreendidos por infrações de maior gravidade ou com violência. Essa é a quantidade de menores que poderia entrar no sistema prisional brasileiro ao longo de 1 ano caso a redução da maioridade penal seja aprovada no Congresso.

O G1 fez no ano passado um levantamento mostrando que há 200 mil detentos a mais do que o sistema carcerário brasileiro comporta. São 563.723 presos nas penitenciárias do país, mas há, no entanto, 363.520 vagas disponíveis nas unidades (ver mais detalhes adiante na reportagem).

Os dados sobre os menores foram obtidos com secretarias e órgãos que administram unidades de internação de infratores em todos os estados e no Distrito Federal. Apenas o governo de Goiás informou que só tinha dados até 2013 e que não poderia disponibilizar as informações mais recentes.

A reportagem questionou, a cada entidade, quantos adolescentes, com idades de 16 e 17 anos, deram entrada nas unidades de cumprimento de medidas socioeducativas do estado durante todo o ano de 2014. Não há informações sobre o tempo médio que ficou internado cada adolescente.

Nas últimas semanas, o Congresso começou a debater a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. No dia 8 de abril, a Câmara dos Deputados instalou uma comissão para analisar a mesma proposta que, caso seja aprovada, será votada no plenário da Casa antes de retornar ao Senado.

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), de 1990, prevê a medida de internação quando 1) o ato infracional for cometido por eles mediante grave ameaça ou violência à pessoa; 2) por reiteração no cometimento de infrações graves; 3) por descumprimento de medida anteriormente imposta. O período de detenção não pode ultrapassar três anos.

POR ESTADO: NÚMERO DE JOVENS DE 16 E 17 ANOS APREENDIDOS POR CRIMES EM 2014
Estado 16 anos 17 anos
RS 584 824
SC 251 440
PR 566 821
SP 4.053 5.370
RJ 464 658
MG 529 794
ES 456 602
GO 371 (a) 508 (a)
DF 1.818 2.216
TO 37 59
MT 199 284
MS 137 (b) (b)
AC 134 207
RO 55 83
AM 467 93
RR 48 61
AP 91 (b) (b)
PA 172 278
MA 240 301
BA 635 721
PI 66 79
CE 614 750
RN 284 380
PB 94 96
PE 1.704 2.107
AL 75 92
SE 243 348
Total 14.273 18.286
(a) Número de 2013
(b) Número unificado das duas idades
Fonte: órgãos responsáveis pela administração de unidades de internação de menores infratores nos Estados

“A maioria dos adolescentes do país está internado por roubo, por ser considerado crime com violência ou grave ameaça. Já no caso do tráfico, apesar de não haver violência direta, em geral juízes das regiões metropolitanas aplicam internação aos reincidentes e os do interior quase sempre aplicam internação, inclusive aos primários”, afirma o jurista Ariel de Castro Alves, integrante do Movimento Nacional de Direitos Humanos.

O ECA prevê que, em nenhuma hipótese, os juízes aplicarão a internação caso haja outra medida adequada diante do ato infracional, como advertências, reparação do dano, prestação de serviços comunitários, liberdade assistida ou semiliberdade.

O maior número de adolescentes com 16 e 17 anos cumprindo medidas de internação em 2014 foi registrado no estado de São Paulo: ingressaram pelas unidades da Fundação Casa 9.423 menores infratores nesta faixa etária. Segundo o levantamento do G1 do ano passado, há cerca de 207 mil presos no sistema carcerário paulista.

“Nosso sistema socioeducativo e é infinitamente melhor que o sistema prisional de qualquer lugar do Brasil, porque leva em conta as condições e necessidades da criança e do adolescente, que estão em fase de amadurecimento e suscetíveis à mudança de comportamento pela conversa”, entende a presidente da Fundação Casa, Berenice Giannella.

Conforme o ECA, os menores não podem permanecer, “em nenhuma hipótese”, mais de três anos internados, sendo que a manutenção do menor deve ser revisada e fundamentada a cada seis meses.

“Já no caso de tráfico, os adolescentes infratores, se considerados maiores de idade, começariam a cumprir a pena em regime fechado, com possibilidade de progressão, após cumprimento de 2/5 da pena, para os primários, e de 3/5 da pena, se reincidentes”, diz o jurista Ariel de Castro Alves.

Para o caso de roubos, o Código Penal prevê pena de reclusão de quatro a dez anos, mais multa.

O ministro da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Pepe Vargas, disse que uma parcela muito pequena de menores acabam internados em instituições. “Temos 26 milhões de adolescentes no Brasil. Os 23 mil que estão cumprindo medidas com privação de liberdade representam 0,08%. Esses casos têm grande exposição e geram muita comoção, mas é uma parcela ínfima de adolescentes”, afirmou o ministro em um debate no Congresso, segundo a Agência Brasil.

População prisional
O Ministério da Justiça não disponibiliza os números atualizados da população carcerária do país. Os últimos dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), de julho de 2013, apontam que, na época, havia 574.027 presos maiores de idade no país, enquanto havia 317.733 vagas.

Em julho de 2014, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgou um levantamento apontando que a população carcerária brasileira chegava a 715 mil em maio daquele ano, sendo que mais de 147,9 mil pessoas cumpriam prisão domiciliar devido ao déficit de vagas no sistema.

Um gráfico obtido pelo G1 mostra a evolução do número de presos brasileiros desde 2005 em comparação com a quantidade de vagas: enquanto a população carcerária cresce exponencialmente ano a ano, a quantidade de vagas permaneceu praticamente estacionada no país no período.

Evolução da População Prisional do país - até 2012 (Foto: Tahiane Stochero/G1)Evolução da População Prisional do país – 2005 a 2012 (Foto: Tahiane Stochero/G1)

Posicionamentos sobre a redução da maioridade
O Ministério Público, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a presidente Dilma Rousseff se manifestaram contra a mudança na legislação.

Pesquisa do Datafolha afirma que 87% de 2.834 entrevistados declaram ser favoráveis à redução da maioridade penal.

Berenice Gianella, da Fundação Casa, propõe uma mudança em outros termos: “Precisamos pensar em outras saídas para a questão, ao invés de mandar o adolescente para o presídio. Uma alternativa é um projeto de lei que aumenta o tempo de internação de adolescentes que praticam crimes hediondos e que chocam a sociedade”.

No ano passado, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado rejeitou uma proposta de emenda constitucional para reduzir a idade penal em casos de crimes hediondos, tráfico de drogas, tortura e terrorismo, além de múltipla reincidência para a prática de lesão corporal grave e roubo qualificado, gerando bate-boca entre parlamentares a favor e contra a medida.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Sintepe faz balanço da mobilização dos professores no Pajeú

Publicado em Sem categoria por em 24 de abril de 2015

assembleia4

Levantamento do Sintepe Pajeú apresentado pela professora Margarida Silva indica que das 44 escolas da rede estadual, 21 estão paradas.

Dentre as cidades onde há mais mobilização dos professores, estão São José do Egito (todas as escolas paradas), Serra Talhada (seis escolas paradas),  Itapetim (EREM Tereza Torres), e Tuparetama (Olímpio Torres e Ernesto de Souza Leite).

Em Santa Terezinha, está paralisada a Escola Santa Terezinha. Em Tabira, a Arnaldo Alves. Em Carnaíba, a João Gomes dos Reis.

Não aderiram professores das escolas de Solidão, Ingazeira, Iguaracy e Brejinho. E em Afogados da Ingazeira, a articulação é mínima, segundo o Sintepe: há apenas três professores de braços cruzados.

Outro lado: Levantamento realizado nesta quinta-feira (23), pela Secretaria Estadual de Educação, nas escolas da Rede aponta que 56% (586 escolas) não paralisaram as atividades, enquanto 37% (382 unidades) paralisaram parcialmente e 7% (77 escolas) aderiram totalmente à paralisação. Os números são referentes ao turno da manhã

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

MEC adia para 29 de maio o prazo de renovação de contratos do Fies

Prazo inicial terminaria no dia 30 de abril.
Segundo o MEC, prorrogação não vale para pedidos de novos contratos.

Do G1, em São Paulo

 

A BATALHA DO FIES
entenda as mudanças no programa

O Ministério da Educação decidiu, nesta quinta-feira (23), prorrogar o prazo para que estudantes com contratos já vigentes do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) possam renovar os contratos de financiamento. Segundo a assessoria de imprensa do MEC, o novo prazo para estes estudantes concluírem a renovação semestral agora vai até 29 de maio.

Ainda de acordo com a assessoria de imprensa, os estudantes que querem pedir um novo contrato de financiamento terão o prazo inicial mantido para a quinta-feira da próxima semana, dia 30 de abril.

De acordo com a pasta, até a tarde desta quinta-feira cerca de 1,6 milhão do total de 1,9 milhão de contratos vigentes já tinham sido aditados, e 242 mil novos contratos tinham sido feitos pelo site do Fies.

Diário Oficial
A portaria que oficializa a mudança será publicada na edição desta sexta-feira (24) do “Diário Oficial da União”. Ela será assinada por Antonio Idilvan de Lima Alencar, presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Em nota divulgada pelo ministério, o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmou que “o MEC tomou essa decisão, em conjunto com o FNDE, para dar mais segurança e tranquilidade aos estudantes que ainda buscam aditar seus contratos no sistema”.

Segundo a portaria, além do aditamento de contrato, os estudantes que já têm contrato do Fies vigente desde 2014 ou anos anteriores também têm até 29 de maio para solicitar a transferência integral do curso ou da instituição de ensino, para solicitar a dilatação do prazo de utilização do financiamento, e para solicitar o aditamento da suspensão temporária do financiamento.

Ministro pede calma
Na manhã desta quinta, o ministro afirmou, durante o programa de rádio “Bom Dia Ministro”, que a prioridade do programa é com o estudante, e por isso  “todos os contratos do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) serão renovados” e ressaltou que os alunos “tenham calma e fiquem tranquilos”.

Renato Janine Ribeiro, ministro da Educação, durante o programa 'Bom Dia Ministro' (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)O ministro Janine Ribeiro durante o programa ‘Bom
Dia Ministro’ (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Nota mínima no Enem
Desde 30 de março, com a entrada das novas regras do Fies, para fazer a inscrição, o estudante deverá ter nota mínima de 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio e não ter tirado nota zero na redação.

Limite de reajuste
O Ministério da Educação conseguiu na Justiça derrubar as liminares que suspendiam as novas regras do Fies. Com isso, as instituições particulares de ensino superior não podem aumentar as mensalidades acima do teto de 6,4%.

Janine Ribeiro destacou, no programa de rádio, que, “no caso de haver discrepâncias quanto ao valor que a instituição quer cobrar, isto é, se a instituição quer cobrar acima do teto de 6,4%, o MEC vai discutir com a instituição, mas vai renovar a parte do aluno”.

“O aluno pode ficar tranquilo porque todas as renovações serão asseguradas”, disse o ministro.

A PUC de Campinas avisou aos alunos interessados que eles não vão receber o benefício do Fies porque optou por reajustar a mensalidade em 9%, acima do teto determinado pelo governo.

O Fies permite ao estudante cursar uma graduação em uma instituição particular e, depois de formado, pagar as mensalidades a uma taxa de juros de 3,4% ao ano. O aluno só começa pagar após 18 meses de concluído o curso.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Petrobras tem 1º prejuízo desde 1991; perda com corrupção é de R$ 6,2 bi

Estatal divulgou balanço auditado do 3º trimestre e do exercício de 2014.
Petrobras teve prejuízo líquido de R$ 21,6 bilhões em 2014.

Cristiane Caoli, Darlan Alvarenga e Taís LaportaDo G1, no Rio e em São Paulo

Após um longo período de espera e expectativa, a Petrobras finalmente divulgou nesta quarta-feira (22) o balanço auditado do exercício de 2014. A companhia registrou no ano passado um prejuízo de R$ 21,587 bilhões, contra um lucro de R$ 23,6 bilhões em 2013.

A Petrobras informou no balanço que a baixa contábil pelo esquema de pagamentos indevidos investigado pela Lava Jato foi de R$ 6,194 bilhões. Ou seja, essa foi a perda por corrupção, segundo a estatal.

Ao comentar o balanço, o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, fez um pedido de desculpas em nome dos funcionários da companhia pelo escândalo de corrupção. “Sim, a gente está com sentimento de vergonha por tudo isso que a gente vivenciou, por esses malfeitos que ocorreram. Não temos clarividência muito clara se foi de fora para dentro ou de dentro da fora. Sim, faço pedido de desculpa em nome dos empregados da Petrobras porque hoje sou um deles”, disse.

LUCRO DA PETROBRAS
Em R$ bilhões
9,99,8817,717,823,725,921,532,928,935,133,321,123,5-21,5200020052010-30-20-10010203040
Fonte: Economatica

Perdas de R$ 6 bilhões com corrupção
“O valor da baixa de gastos adicionais capitalizados indevidamente no ativo imobilizado oriundos do esquema de pagamentos indevidos descoberto pelas investigações da Operação Lava Jato (baixa de gastos adicionais capitalizados indevidamente) foi de R$ 6,194 bilhões”, afirma o balanço.

A petroleira afirmou, no entanto, que não consegue identificar especificamente os valores de cada pagamento indevido.

Sobre a metodologia utilizada, a companhia explicou que listou todas as empresas citadas nas investigações e os contratos assinados com as contrapartes. Depois, calculou o valor desses contratos, identificando todos os pagamentos feitos, e aplicou um percentual fixo de 3% sobre o valor total, para estimar os gastos adicionais sobre o “montante total dos contratos”.

Diretoria de Costa liderou perdas
Dos R$ 6,2 bilhões perdidos com corrupção, segundo o balanço, a maior parte (55%) ocorreu na área de Abastecimento, que foi comandada por Paulo Roberto Costa, com baixa de R$ 3,326 bilhões. Gás e Energia respondeu por R$ 637 milhões das perdas. As áreas de Distribuição e Internacional tiveram baixas de R$ 23 milhões cada uma, ao passo que o Corporativo da companhia teve perda de R$ 99 milhões.
Outros R$ 150 milhões referem-se a pagamentos indevidos de empresas não citadas na Lava Jato.

‘Cálculo conservador’
Ao calcular as perdas com corrupção, a estatal concluiu, “com base nos depoimentos tornados públicos”, que o esquema de pagamentos indevidos funcionou entre 2004 a abril de 2012.

Segundo Bendine, no entanto, o cálculo com as perdas pode ser considerado “conservador” e, caso apareçam fatos novos nas investigações, o valor poderá ser corrigido. “A gente pode até entender que esse número provisionado foi conservador. A gente tentou extrapolar o máximo possível para dar este tipo de conforto e ter um faixa para para trabalhar, na medida que isso for apurado e julgado”, disse.

Aldemir Bendine, petrobras (Foto: Estadão Conteúdo)

Maior prejuízo anual desde 1991
O prejuízo líquido de R$ 21,6 bilhões em 2014 é o maior desde 1991, quando a Petrobras registrou perdas de R$ 1,21 bilhão, segundo dados da Economatica, em valores corrigidos pela inflação.

Desvalorização de ativos em R$ 44 bilhões
No balanço auditado, a  companhia reduziu o valor de seus ativos em R$ 44,3 bilhões, após ter reavaliado uma série de projetos, principalmente a Refinaria Abreu e Lima e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

Segundo a Petrobras, a desvalorização dos ativos foi calculada levando em consideração, sobretudo, três fatores: a queda nos preços do petróleo, a redução da demanda e o atraso em projetos de refino no país por um longo período.

‘Capacidade de superação’
“Com a publicação dos resultados de 2014 auditados, a Petrobras transpôs uma importante barreira, após um esforço coletivo, que evidencia nossa capacidade de superação de desafios em um contexto adverso. Este exercício me trouxe ainda mais confiança de que iremos responder às questões estratégicas que nos defrontam”, escreveu Bendine no balanço, acrescentando que o o novo plano de negócios priorizará a área de exploração e produção de petróleo e gás.

O resultado do 3º trimestre também foi revisado pelos auditores, de um lucro de R$ 3,1 bilhões para um prejuízo de R$ 5,339 bilhões.

Analistas
Segundo analistas ouvidos pelo G1, a divulgação do balanço é um primeiro passo para entender a dimensão dos desvios no patrimônio da empresa, mas ainda deixa um “vácuo” que gera novas dúvidas.

Para o economista Jason Vieira, a explicação sobre as inconsistências que reduziram o patrimônio da empresa em R$ 44 bilhões foi “superficial” e não esclarece se houve de fato superfaturamento, além do esquema de propinas pagas pelas empresas citadas na operação Lava Jato.

Na visão do economista Marcelo D’Agosto, a baixa contábil é um bom começo para a empresa começar a separar “o joio do trigo”, mas o aumento do endividamento da empresa, um efeito prático dessas perdas por corrupção, complica a geração de caixa da estatal.

Governo
Em nota, o Palácio do Planalto afirmou que a divulgação do balanço reflete a “superação” da companhia após sucessivas denúncias de irregularidades envolvendo a estatal e reveladas pela Operação Lava Jato.

“O Palácio do Planalto avalia que a divulgação do balanço pela Petrobras mostra a superação de uma fase e mostra também que a estatal terá todas as condições de retomar os projetos”, informou a Presidência da República.

Dividendos não serão pagos em 2015
Bendine anunciou também que não serão pagos dividendos para acionistas (a parcela do lucro da companhia que é distribuída aos acionistas). “Dividendos não serão pagos”, afirmou Bendine. “Simplesmente não vamos pagar”, acrescentou. “É uma das medidas de preservação do caixa da companhia”, completou.

Reserva de R$ 2,4 bi para PDV
O balanço também aponta que a Petrobras reservou R$ 2,44 bilhões para um programa de demissão voluntária. Segundo Antonio Sergio, diretor Corporativo e de Serviços, o plano de demissão voluntária tem mais de 7.000 funcionários inscritos – dos quais 4.474 já se desligaram. E serão mais quase 3 mil até maio de 2017.

Ações fecharam em alta
À espera do balanço, as ações da Petrobras encerraram o dia em alta, impulsionando o avanço do Ibovespa.

No ano, as ações ordiárias (com direito a voto) da Petrobras acumulam alta de mais de 30% e, as preferenciais (com prioridade na distribuição de dividendos, mas sem direito a voto), mais de 38%.

Em valor de mercado, a petroleira ganhou mais de R$ 44 bilhões em 2015, alcançando mais de R$ 171 bilhões no fechamento da véspera, segundo a Economatica. Comparado aos R$ 295 bilhões que a empresa valia em agosto do ano passado (R$ 295 bilhões), porém, a companhia ainda registra um encolhimento de mais de 40% na bolsa.

Importância da divulgação
A divulgação do balanço auditado é apontada como tarefa essencial para o resgate da credibilidade da Petrobras e para que a empresa consiga captar recursos e atrair investidores. Caso fosse novamente adiada, parte dos seus credores poderiam pedir o vencimento antecipado de suas dívidas o que, em tese, poderia levar a empresa à insolvência e exigir uma operação de injeção de capital pelo governo.

A divulgação chega depois de uma série de adiamentos e dificuldades para calcular como o esquema de corrupção envolvendo a estatal e investigado pela operação Lava Jato afetou o patrimônio da petroleira.

Estimativas anteriores
Em janeiro, a Petrobras divulgou um resultado não auditado para o terceiro trimestre (lucro líquido de R$ 3,087 bilhões) e uma estimativa preliminar de que seus ativos estariam superestimados em R$ 88 bilhões. A conta, porém, não distinguia quanto desses recursos teriam sido desviados e quanto diriam respeito a problemas na execução de projetos e mudanças no câmbio.

Na ocasião, a empresa atribuiu a ausência dos dados sobre as perdas com corrupção à “impraticabilidade” de quantificar esses dados de forma correta. A metodologia para fazer esse cálculo precisa atender às exigências de órgãos reguladores não só do Brasil (CVM), mas também dos Estados Unidos (SEC), onde papéis da empresa são negociados.

Para alguns analistas, o valor muito alto e a forma como a estimativa foi divulgada teriam tornado insustentável a posição da então presidente da empresa, Maria das Graças Foster, que foi substituída pelo ex-presidente do Banco do Brasil Aldemir Bendine.

Na segunda-feira (20), o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse que a apresentação do balanço da Petrobras seria “mais um passo” na reconstrução da empresa.

Investigações
Segundo informações da PF, de procuradores do Ministério Público e de delatores do caso, executivos da estatal indicados por partidos políticos conspiraram com empresas de engenharia e construção do país para sobrevalorizar refinarias, navios e outros bens e serviços da Petrobras. Os valores excedentes dos projetos teriam sido desviados para executivos, políticos e partidos.

Deflagrada em 17 de março de 2014, a Operação Lava Jato desmontou um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que, segundo as autoridades policiais, movimentou cerca de R$ 10 bilhões.

O Ministério Público Federal do Paraná já ofereceu denúncias contra mais de 30 investigados e os procuradores anunciaram que irão pedir ressarcimento de ao menos R$ 1,18 bilhão por desvios na empresa.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

PREVISÃO DE MAIS CHUVA PARA SANTA TEREZINHA/PE NESTA QUINTA FEIRA


PA160019_fhdr

Quinta-Feira, 23/04

Nascer do sol:05h31Pôr do sol:17h25
  • Manhã
  • Tarde
  • Noite
  • 89%64%

Índice UV: Extremo

Sol com algumas nuvens. Chove rápido durante o dia e à noite.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário